Suzane Hammer
Suzane Hammer

Campos sagrados: o cemitério de Noratus

02 de maio de 2020
Eu CompartilhoLugares Pela Europa

Pode parecer estranho para muitos, mórbido para outros, ou aterrorizantes e dolorido para mais alguns. Mas visitar um cemitério vem se tornando uma prática muito frequente entre os turistas.

Visitar um campo sagrado pode sim ser uma oportunidade de visitar locais onde a história sepultou importantes personagens, que deixaram preciosos legados para a humanidade. Também é lugar que abriga nossos familiares e amigos já falecidos, assim permitindo-nos a oportunidade de manter suas memórias vivas.

Esculturas e obras arquitetônicas, sob a proteção de anjos e santos, tem seu silêncio quebrado por pássaros que sobrevoam e cantam para aqueles que se foram. Os túmulos são altares onde segredos e confissões, orações e lamentações, onde livros poderiam ser escritos mas que ficam guardados  em solo sagrado. E sobre um outro olhar, podemos visitar um desses lugares sagrados fazendo uma viagem pela história da Armênia: o cemitério de Noratus.

Noratus está localizado na região de Gegharkunik, a 95 km de Yerevan, muito próximo ao Lago Sevan. Esta vila foi mencionada pela primeira vez ainda na Idade Média e acredita-se que o patriarca Gegham Nahapet, construiu a cidade Noratuns, que significa “novas casas”.

O cemitério de Noratus é um grande campo de khachkars armênios (pedras cruzadas ou cruzes cruzadas). As pedras cruzadas têm um significado especial e sagrado para os armênios e acreditava-se que elas podiam salvar as almas das pessoas. A idéia de khachkar não era apenas colocá-los sobre os túmulos, mas eles também serviram como um memorial para diferentes eventos que aconteceram no país.

Há também uma lenda bem interessante relacionada aos khachkars de Noratus. A lenda diz que durante as invasões de Tamerlane, os aldeões vestiram a cruz para fazê-los parecer soldados de verdade, e aparentemente funcionou. Pelo menos a noite, pois no dia seguinte, o disfarce foi descoberto. A parte mais antiga do cemitério abriga cerca de 800 khachkars, que datam dos séculos IX-XVII.

O campo de Noratus foi o segundo maior campo de khachkars armênio, depois do campo de Jugha (Nakhichevan) com cerca de 2.500 khachkars. Mas as pedras cruzadas de Jugha foram destruídas pelo Azerbaijão entre 1998-2005. Hoje, o cemitério de Noratus possui a maior coleção existente de khachkars.

Cemitérios sempre serão um local de respeito , de dor e saudade , mas leve em consideração visitar alguns deles em sua próxima viagem.  Muitos deles,  já fazem parte de destinos turísticos pelo Mundo . e se tiver oportunidade , contrate  um guia especializado que poderá lhe contar em detalhes a rica história destes locais sagrados.


Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário