Sylvia Barreto
Sylvia Barreto

Meu vestido de noiva: um negócio da China

26 de outubro de 2018
Eu Compartilho

Nunca fui uma pessoa que quisesse muito casar, mas usar vestido de noiva, disso eu não abria mão. Depois de namorar bastante, finalmente, encontrei o homem que fez com que eu tivesse vontade de casar, o Rodrigo. Há dois anos ficamos noivos e eu comecei a sonhar com o vestido, acessórios e maquiagem, além da lua de mel, é claro.

Fizemos algumas cotações e com o orçamento apertado, pagando casa, móveis e o país em crise, vimos que não seria possível fazer festa. Lógico que eu não desisti do meu vestido de noiva. Comecei a planejar a lua de mel e veio a oportunidade de ir para o sul da Bahia em uma praia que amo: Corumbau.

Acho lindo sempre que vejo fotos de casamentos na praia, mas eu nunca faria um. Ia ficar com medo de chover, suando, não é meu perfil. Mas já que eu não teria uma cerimônia com convidados, pensei: será que dá para fazer uma sessão de fotos em Corumbau vestida de noiva?

Comentei a ideia com meu noivo na época, ele achou legal. Então, comecei a planejar tudo. Como eu uso manequim 50, sabia que não seria fácil nem barato a ideia de arrumar um vestido de noiva para mim. Foi quando comecei a pesquisar no site de produtos chineses Aliexpress. Como eu imaginava que meu casamento seria na cidade, sempre quis algo tomara-que-caia bem chique. Porém, para essas fotos na praia, queria algo mais boho e delicado, teria que mudar completamente meu conceito.

Eu nunca havia comprado nada no Aliexpress, mas logo na primeira vez que acessei o site, achei vários vestidos que gostei e do meu tamanho. Rodrigo ainda não havia decidido se queria mesmo a sessão de fotos em Corumbau, então me segurei por alguns meses, só que um vestido não saiu da minha cabeça.

Crédito Tiago Saldanha

Uns dois meses depois da primeira olhadela no Aliexpress, resolvi que deveria comprar o vestido que mais tinha gostado. Entrei no site, não encontrava a peça mais, procurei até achar, nem sabia se o vestido estava no mesmo perfil que havia consultado há meses, não pesquisei sobre o vendedor, uma loucura, escolhi um tamanho com medidas um pouco maiores que as minhas e comprei.

Optei por um envio pago, apesar de ter a opção do pago. O total da minha compra foi de US$ 136,17, sendo que só o vestido era US$ 108. Quando a fatura do cartão de crédito fechou, ainda teve o IOF. Troquei algumas mensagens com a loja  perguntando se o tamanho equivalia mesmo à tabela de medidas e foi só isso.

Comprei o vestido da China sem ter certeza que faria as fotos e sem contar para o Rodrigo, que iria achar uma loucura realizar uma compra dessas pelo Aliexpress. Na hora, não fiquei ansiosa. A confecção levou um tempo e, quando estavam quase para enviar, comecei a ficar mais nervosa, com medo de que o pano fosse ruim, já que as roupas chinesas têm uma certa má fama em relação à qualidade.

Crédito Tiago Saldanha

Dia 14 de julho, enviaram meu vestido. Quando ele foi recebido pelos Correios do Brasil, dia 30 do mesmo mês, contei ao Rodrigo. Junto dei a notícia de que iríamos sim fazer as fotos em Corumbau e eu já havia cotado fotógrafo e maquiadora. Agora só faltava que o vestido de noiva da China servisse.

Só recebi o vestido em casa mesmo dia 10 de agosto. Ele ficou parado nos Correios para análise, já que era uma encomenda internacional, e fui taxada em R$ 400. Tudo valeu a pena – espera, medos, taxa – quando eu abri o embrulho e o vestido era lindo! O pano era ótimo e, como eu pedi com medidas um pouco maiores que as minhas, ele ficou largo. Isso é uma ótima notícia para quem passou a vida acima do “peso ideal”, pois roupa larga pode ser apertada, já a que não serve não tem remédio.

Levei a uma costureira do bairro que eu morava quando ainda era solteira, ela apertou o vestido e passou, estava bem amassado porque tinha viajado da China para o Brasil. Ao todo, gastei pouco mais de R$ 1.000 em tudo (vestido, taxa, impostos e costureira) e acho que realmente compensou, no Brasil, não encontraria vestido como eu queria, no meu tamanho e com preço acessível.

No dia 25 de setembro, já casada no civil, fiz minha troca de alianças em Corumbau e fotos lindas com o fotógrafo Tiago Saldanha, um mineiro que mora em Porto Seguro. Não tive cerimônia e nem convidados, assim como havíamos planejado. O momento foi lindo, me senti maravilhosa com o vestido da China e casando na Bahia. Esses lugares pelo mundo tão longe e distintos agora nunca mais sairão das memórias da minha vida.

 

 

Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário
  1. Ana   •   24/02/19   •   21h40

    Você ficou muito linda nele