Suzane Hammer
Suzane Hammer

Mosteiros e Igrejas – O Mundo sagrada da Armênia

26 de janeiro de 2020
Eu Gosto

Armênia é considerada uma das civilizações mais antigas do mundo, com cerca de 2.000 anos a.C. Esse país, ainda pouco conhecido, tem como moldura as montanhas do Cáucaso e teve um papel muito importante na história das religiões do mundo. 

A própria história da Armênia é  bastante conturbada e durante séculos disputada e ocupada por inúmeros povos como persas, turcos, romanos entre outros. Sofreu com o genocídio no início do século 19 levando a morte mais de um milhão e meio de armênios e o domínio soviético até 1991. Todos esse eventos históricos, moldaram o país e seu povo que hoje convidam a quem quiser conhecer esse precioso lugar. 

A “Armênia Histórica” já foi muito maior. Em certos períodos chegou a ocupar grande parte da Turquia e oriente médio. Um dos grandes orgulhos dos armênios foi justamente um dos primeiros povos a abraçar o cristianismo como religião oficial no ano de 301 d.C. 

Com toda história religiosa a Armênia deixou um belíssimo legado de mosteiros e igrejas. Cada uma com sua história onde em seu solo, figuras importantes foram enterradas, lágrimas foram derramadas, paredes que ouviram infinitas orações e milagres foram concedidos.

 MOSTEIRO DE KHOR VIRAP

Cartão postal da Armênia, este mosteiro tem como destaque em sua paisagem o Monte Ararate. Considerado um dos locais mais sagrados para o povo armênio, o mosteiro foi o local onde São Gregório Iluminador permaneceu preso durante 13 anos pelo Rei pagão Tiridates III. São Gregório é o santo padroeiro e líder da Igreja Apostólica Armênia.

Também foi creditado a ele a conversão do paganismo armênio ao cristianismo como religião oficial de Estado. Além do mosteiro, o grande destaque é o imponente Monte Ararate que apesar de estar em território turco tem grande importância religiosa. Segundo a lenda e o livro do Gênesis, a arca de Noé teria aportado no Monte Ararate após 40 dias de dilúvio. 

O MOSTEIRO DE GEGHARD

 O nome ‘Geghard’ se refere à lança que feriu  Cristo. Uma construção impressionante. Esta seria a palavra para descrever esse maravilhoso mosteiro. 

O Mosteiro de Geghard, é um complexo de ​​igrejas e tumbas escavadas em rochas, um exemplo belíssimo de arquitetura medieval armênia, além de estar localizado em uma paisagem de beleza natural no Vale Azat. Foi construído entre os séculos século IV a XIII, o mosteiro era chamado de  Ayrivank (mosteiro na caverna) devido a sua construção cortada em pedra. O mosteiro foi fundado, segundo a tradição de São Gregório, o Iluminador, após a adoção do cristianismo como religião de estado na Armênia.​

A primeira igreja cortada em pedra foi construída antes de 1250 e a segunda igreja em 1283. A capela de St. Astvatsatsin (Santa Mãe de Deus) é o monumento mais antigo fora das muralhas  e é parcialmente escavado na rocha. Há inscrições gravadas nas paredes, das quais a mais antiga é datada de 1177 e 1181 dC.  

O mosteiro de Geghard é um renomado centro eclesiástico e cultural da Armênia medieval, onde uma escola, um scriptorium, uma biblioteca e muitas celas para clérigos podem ser encontradas, além das construções religiosas. Os historiadores Mkhitar Ayrivanetsi, Simeon Ayrivanetsi, que viveram e trabalharam no século XIII no mosteiro, contribuíram para o desenvolvimento da arte manuscrita armênia. Sagradas relíquias também foram encontradas e a mais importante  foi a lança que havia ferido Jesus Cristo na cruz e foi levada para lá pelo apóstolo Thaddeus, de onde vem seu nome atual, Geghardavank (o mosteiro da lança). A lança foi mantida no mosteiro por 500 anos.  

Uma pequena nascente de água  emana de uma caverna que se acredita ter sido sagrada nos tempos pré-cristãos, e que  continua a fluir através de uma das capelas de pedra do complexo.  O Mosteiro de Geghard foi inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 2000. Um momento de absoluta paz é poder ter o privilégio de ouvir e presenciar uma pequena apresentação de um coral de cantos gregorianos dentro de uma das igrejas. Entre e as paredes escuras, tímidos raios solares que invadem o ambiente pelo teto e acústica perfeita , este é um momento absolutamente memorável.

TEMPLO DE GARNI

Único monumento na Armênia pertencente a era do paganismo e helenismo , foi construído antes do país adotar o cristianismo como  religião oficial em 301 d.C. Completamente diferente aos demais edifícios religiosos, o Templo de Garni parece um pedacinho da Grécia antiga, uma cópia do templo de Atenas, construída sobre as colinas da Armênia. O templo foi dedicado ao deus pagão do sol Mitra e foi construído no século I dC.

Mais surpreende é o fato deste monumento pagão ter sobrevivido após a adoção do cristianismo por todo o país, já que todos os outros templos pagãos foram destruídos. O templo foi severamente destruído por um  terremoto de 1679, espalhando suas peças ao longo do desfiladeiro. Mas foi restaurada graças aos esforços de especialistas e moradores locais.


O templo de Garni foi recuperado em 1930 e hoje é uma das principais atrações turísticas da Armênia. Considerado um orgulho da arquitetura nacional, o templo possui uma maravilhosa decoração e apesar do estilo helenístico, um diferencial é a decoração de folhas de nogueiras e uvas que representam estilos armênios.  

 OS KHACHKARS

Por todos os locais sagrados na Armênia, é possível encontrar os Khachkars. São tipicamente armênios e identificam a cultura cristã na Armênia. ​

Khachkars são estelas esculpidas em pedra por artesãos da Armênia e são erguidos durante uma pequena cerimônia religiosa. Após serem abençoado e ungido, acredita-se que possuam poderes sagrados oferecendo ajuda, proteção, vitória, vida longa, lembrança e mediação para a salvação da alma. Existem mais de 50.000 Khachkars na Armênia, cada um tem seu próprio padrão, e não há dois iguais. A arte dos Khachkars é transmitido através das famílias ou de mestres a aprendizes, ensinando os métodos e padrões tradicionais.

Os Khachkars têm um lugar especial na cultura armênia, pois é a única nação cristã que ergue esses tipos de monumentos por sua fé. Os primeiros khachkars surgiram no século IX. Desde 2010 estão incluídos na lista da UNESCO de Patrimônio Cultural Imaterial. 

CEMITÉRIO DE NORATUS

Um dos lugares muito interessantes é o cemitério de Noratus, localizado na província de Gegharkunik, próximo ao lago Sevan. Além de ser um sagrado este local tem inúmeros monumentos da idade do Bronze e Ferro. Este cemitério é único pois concentra aproximadamente 900 Khachkars e túmulos esculpidas entre os séculos IX e XVII na Armênia e no mundo. A maior concentração de khachkars estava na cidade de Jugha, na região de Nagorno Karabagh, com mais de 2.500 khachkars, mas foram destruídos nos anos 90 durante o conflito com o Azerbaijão. 

MONASTÉRIO DE SEVANAVANK

Imponente e a beira do Lago Sevan, um dos mais altos lagos do Mundo, o Monastério de Sevanavank foi construído em um local privilegiado.  ​

A região de Sevan foi um dos primeiros lugares a adotarem o cristianismo na Armênia e com isso várias igrejas cristãs começaram a ser construídas por todo país. Inicialmente o mosteiro foi construído na costa sul de uma pequena ilha. Após a drenagem artificial do lago Sevan, que começou na era de Joseph Stalin, o nível da água diminuiu cerca de 20 metros e a ilha se transformou em uma península. 

No ano de 874, o arcebispo Mashtots Eghvardtetsi, que mais tarde se tornou  fundador da irmandade dos Santos Apóstolos, foi o responsável pela construção das igrejas de St. Karapet e os Santos Apóstolos com o aval de Mariam, filha do rei Ashot II. 

Diz a lenda que Mashtots teve um sonho com os 12 apóstolos  que lhe disseram para construir uma igreja naquele local. Dentro da principal igreja, existe um khachkar bastante interessante, pois apresenta Jesus Cristo em uma escultura complexa e detalhada. A imagem de Cristo tinha traços dos povos mongóis, e durante o período de ocupação do exército mongol, os soldados não tocavam nas igrejas que tivessem imagens de figuras sagradas como a encontrada neste mosteiro por justamente terem traços de seu povo.

Nos anos de 1800, o complexo era usado como um centro de reabilitação para monges que se comportam mal e passavam por um regime rigoroso disciplinar incluindo dieta sem carne, vinho e contato com mulheres. Abandonado durante o período soviético , a igreja de St. Astvatsatsin foi demolido em 1931 e sua pedra usada para construir uma casa de férias em Sevan. Em 1936, um forte terremoto danificou gravemente a estrutura do mosteiro e somente  a partir de 1990 foi reconstruída e sendo hoje um dos destinos mais populares da Armênia.

MONASTERIO DE HAGPAT  

O nome do mosteiro significa ‘enorme muro’, devido a suas fortes fortificações e pelas altas barreiras para a proteção contra o ataque de inimigos.​

Do complexo fazem parte as igrejas de Saint Nshan, Saint Grigor e Saint Astvatsatsin, um pátio, túmulos de capelas e muitos Khachkars (pedras cruzadas).​ Uma belíssima torre de relógio foi erguida em 1210 e é considerado um dos mais belos exemplos da arquitetura medieval da Armênia, assim como Mosteiro de Haghpat situado no norte da Armênia, é um dos mais belos complexos de mosteiros existente no país. A maior igreja do complexo, a Catedral de St. Nishan, foi construída de 967-991. É um exemplo típico da arquitetura armênia do século X a torre do sino construída em 1245.

Há uma esplêndida série de khachkars  dos séculos 11 e 13, sendo o mais conhecido é o khachkar “Amenaprkich” (Todo Salvador), datado de  1273. O mosteiro foi danificado muitas vezes. Por volta de 1130, um terremoto destruiu parte do Mosteiro de Haghpat sendo restaurado somente 50 anos depois. Também sofreu numerosos ataques das forças armadas ao longo dos séculos de sua existência e de mais um grande terremoto em 1988. 

Hoje a área é um local turístico cada vez mais popular e em 1996, o Mosteiro de Haghpat foi adicionado à Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO.

CATEDRAL DE SÃO GREGÓRIO

A Catedral de São Gregório, também conhecida como Catedral de Yerevan, é atualmente a maior catedral da Igreja Apostólica Armênia do mundo. 

O complexo foi projetado pelo arquiteto Stepan Kurkchyan tendo sua construção iniciada no ano de 1996, finalizada e santificada em 23 de setembro de 2001 para a 1700ª comemoração da declaração do cristianismo como religião do estado da Armênia. A basílica abriga as relíquias de São Gregório, o Iluminador, que foram trazidas de Nápoles, Itália. 

Logo após a consagração da catedral o Papa João Paulo II fez uma visita oficial. A enorme catedral é um complexo composto por três igrejas: a Catedral , principal igreja com 1700 lugares e as Capelas de São Tiridates e de São Ashkhen, ambas com 150 lugares.



Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário