LPM
LPM

Refeições compartilhadas pelo mundo

05 de março de 2020
Eu Quero

O mundo tem vivido inúmeras e constantes transformações, e uma delas é a da economia do compartilhamento. Depois de transporte, hospedagem, moradia e viagens, chegou a vez das refeições. 

Na verdade não é algo tão diferente assim a ideia de refeições compartilhadas, uma vez que comer sempre foi tratado como um momento de comunhão em diferentes povos e culturas. Fala a verdade, as refeições que mais ficam marcadas na nossa memória são aquelas da casa da vó, cheia de gente em volta da mesa, muita risada e alegria. 

Por isso separamos três sites que permitem os usuários compartilharem as refeições e assim construir cada vez mais uma economia colaborativa, recriar momentos de comunhão e poder conhecer o mundo pelo sabor e pela interação entre as pessoas.  

Meal Sharing 

A ideia do Meal Sharing é justamente a de recriar momentos de reuniões para refeições caseiras. O objetivo do projeto é tornar  possível que as pessoas, que de outra forma provavelmente nunca se encontrariam, se reúnam e se divirtam.

 Além de promover esse intercâmbio cultural mais profundo pretendem também incentivar as pessoas a cozinhar em casa e assim criar um estilo de vida mais saudável. 

Como funciona? Na plataforma você pesquisa por refeições caseiras oferecidas pelos anfitriões. Há opções em todos os cantos do planeta, portanto você pode optar por fazer isso durante uma viagem, ou até mesmo na sua própria cidade.

Você faz a reserva online e então vai até o local, e se delicia com a comida e com as novas amizades que fará! 

EatWith 

“Reunindo pessoas através da comida”

Esse é o slogan do Eatwith, que se define como uma  comunidade para experiências culinárias autênticas com os habitantes locais. 

Disponível em mais de 130 países, o projeto busca conectar pessoas que buscam experiências únicas e imersivas com  anfitriões locais, em casas particulares e locais exclusivos. 

O funcionamento da plataforma é praticamente o mesmo que do Meal Sharing, pesquisar, reservar e compartilhar.  A diferença é que o foco do primeiro é na refeição, enquanto o foco deste é na experiência. Por isso é comum ver um jantar feito por Drag Queens, ou a mistura de karaoke e dança durante a refeição.  

Dinneer 

“Acreditamos na característica inata dos humanos de receber e se conectar com pessoas, essa demanda da comunidade fez nascer os jantares compartilhados”.  Essa é a fala dos fundadores do Dinneer. 

Tanto a proposta, como o funcionamento do site, é bem parecido com os dois primeiros. Há entretanto um apelo para quem é “apaixonado por gastronomia” tornando o projeto mais acessível para amadores. 

Você não precisa ser um Chef ou profissional da área, se é apaixonado por cozinhar e quer receber visitas em seu lar de pessoas que também amam viver experiências gastronômicas inusitadas, esse é seu lugar.


Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário